À escuta do não-dito: o princípio primeiro.

“Vários irmãos se recolhem, vão em frente. Vários também escravizam sua mente. Eu sei bem, quebro a corrente onde passo e planto a minha semente. Gafanhotos nunca tomam de quem tem.  Predadores, senhores que mentem: esperem sentados a rendição, nossa vitória não será por acidente.”

Marcelo D2 e B Negão, “Stab”.

Onde encontra-se manipulação e alienação, há de emergir a consciência crítica, a organização coletiva, a revolução cidadã. À escuta do não-dito.  À produzir, com reflexão, sutileza e consciência crítica, o nosso grito.

Leandro de Campos Fonseca

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s